16 de julho de 2018

Substituição


          Uma cena que vi várias vezes durante os jogos da copa do mundo foi a de um jogador sendo substituído por outro, e notei no rosto de alguns a insatisfação por não ter mais "tempo" e de alívio em outros por ter feito o "suficiente".
          Todos ali estavam cientes de que isso poderia acontecer, mas talvez nem todos esperavam que isso aconteceria com eles...
          Olhando pra minha trajetória, lembro de diversas ocasiões em que a substituída fui eu, e também daquelas em que eu era a substituta, naquelas situações eu me senti  muito mal mas nestas, nem sempre parei pra imaginar como se sentia quem estava saindo do campo...

          A vida tem disso, a gente entra nas relações e nas oportunidades como um jogador que espera dar o seu melhor e sair de campo no final da partida com a vitória, seja ela, emocional ou física, mas podemos ser surpreendidos, pelo tempo, pelas nossas mudanças ou pelas transformações que naturalmente acontecem, e muitas vezes essas situações nos deixam marcas difíceis de cicatrizar.



          Quando somos substituídos, a pergunta principal que ecoa na nossa mente é: "Onde erramos?", mas se te ajudar, considere que nem sempre é um erro, encontros e desencontros fazem parte da nossa vida, alguns permanecem, outros duram certo tempo e ainda há aqueles que mesmo efêmeros deixam impactos que fazem parte da construção de quem nos tornamos.


          Um dia você não vai ser mais interessante, as pessoas não vão querer te ouvir e pode ser que algumas até se afastem de você. Quando isso acontecer olhe para o que você tem dentro e se permita fazer novas semeaduras, tão importante quanto a nossa colheita é a qualidade das sementes que lançamos pelos caminhos da vida...

          Se essa partida acabou para você e agora, a visão do jogo é do campo de reserva, respira fundo, se recupera, porque outras partidas te esperam...